Jovens da Baixada têm destaque na elaboração de políticas públicas no estado do Rio

Compartilhe...

Únicos representantes da região Norte Fluminense dentro do Comitê de Participação de Adolescentes (CPA) do Estado do Rio de Janeiro, dois adolescentes da Baixada Campista, em Campos dos Goytacazes, têm se destacado nas discussões de políticas públicas para crianças e adolescentes na região. Eles são Adreym Nascimento (de 14 anos) e Evelyn Santos (de 12 anos) que, selecionados para compor o Comitê na atuação entre 2023 e 2025, vêm protagonizando conversas com jovens de diversas regiões, na luta dos direitos básicos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), nas diferentes esferas.


Como integrantes do Comitê, os dois adolescentes da Baixada já representaram a região como delegados em eventos como as Conferências de Direitos das Crianças e dos Adolescentes em níveis municipal e estadual, além das diversas reuniões online do CPA com outros adolescentes dos diversos municípios do estado do Rio.
Tudo começou com a inscrição dos jovens para se integrarem ao Comitê. A Associação Bem Faz Bem, com sede em Goitacazes, mobilizou os adolescentes atendidos através da instituição a participarem desta seleção que foi feita pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA) e, a partir daí, selecionados, Adreym e Evelyn já começaram a participar de reuniões e eventos do CPA, junto ao CEDCA.


“A gente acompanha e identifica uma grande evolução desses adolescentes, uma grande maturidade, vontade de aprender, de serem voz com representatividade no seu lugar de fala e dor nas vulnerabilidades e riscos que vivenciam no território onde residem. A partir do momento que são integrantes do CPA, eles têm este direito de serem delegados nas conferências. Eles participaram da conferência municipal como delegados [em 30 de março, na Universidade Federal Fluminense- UFF], onde também foram eleitos como delegados para participarem na conferência estadual. Levando propostas, e temas para debates, também feitos, estudados, em reuniões no CPA”, explicou a assistente social da Bem Faz Bem e coordenadora do projeto Aprender Faz Bem, Caroline Rangel.


O último grande evento que os adolescentes participaram, como integrantes do Comitê, foi no final de setembro, a XI Conferência Estadual de Direitos das Crianças e dos Adolescentes do Rio de Janeiro. “É com muito orgulho que a gente vê, gradativamente, essas crianças e adolescentes evoluindo. Nosso trabalho é sempre nesse sentido de viabilizar o acesso de crianças e adolescentes aos direitos à educação, cultura, arte, esporte, lazer e saúde”, ressalta Caroline.


Diretoria Mirim na Associação Bem Faz Bem – Para abranger o espírito participativo aos demais jovens da associação, a Bem Faz Bem planeja promover, em breve, uma nova eleição na instituição. Mas, desta vez, é para eleger uma diretoria mirim dentro da Bem Faz Bem. O objetivo é fazer com que os jovens da associação possam, além de participar das atividades de cultura, lazer, esporte e educativas, se integrarem também, da gestão da entidade.


“Com a eleição de uma diretoria mirim, a participação das crianças e jovens da Bem Faz Bem vai ultrapassar a barreira das atividades direcionadas às comunidades, que desenvolvemos na sede da associação, em Goitacazes, e em Ururaí. Vamos passar a contar com jovens atuantes, auxiliando na gestão da Bem Faz Bem, participando dos desafios diários que é a condução de uma associação. Além disso, eles passarão a pensar nos projetos que desenvolvemos ainda em seu início, possibilitando o desabrochar de diversas habilidades nestes jovens, além da maior sensação de pertencimento em sua comunidade”, pontua Marcelo Queiroz assessor de comunicação da Bem Faz Bem e um dos fundadores da instituição.

Águas do Paraíba dívida zero com até 65 de desconto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *