Campos é a segunda no ranking do RJ na geração de energia solar

Compartilhe...

Campos está entre as cidades de destaque na publicação do ranking da geração de energia solar fotovoltáica no Brasil, conforme publicado semana passada pelo Governo Federal, por meio da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O potencial de energia solar fotovoltáica cresceu 200% entre 2020 e 2022. 

Dados da Agência reguladora mostram Campos com 7.748 unidades geradoras com capacidade instalada de 57,8 MW (Megawatts), contra 42,5 MW das 6.463 unidades geradoras de Niterói, terceira no ranking Estadual. Em primeiro lugar está a capital, com capacidade instalada de 133 MW.

O nome do município Campos dos Goytacazes está entre os destaques na região Sudeste do Brasil, porque figura como a 2ª cidade do Estado do Rio na geração da energia limpa, tendo por fonte geradora a energia proveniente do sol. Ainda no segundo semestre deste ano, o município abrigará 23 Usinas Fotovoltáicas que representam capacidade instalada acima de 160 Megawatts, ultrapassando a marca atual da capital, cidade do Rio de Janeiro.

CIDADE TEM FATORES QUE REDUZEM EM ATÉ 40% CUSTOS NA IMPLANTAÇÃO DOS SISTEMAS DE GERAÇÃO DE ENERGIA

O município apresenta fatores que proporcionam a redução de até 40% nos custos da instalação de sistemas de geração, como a topografia em planície, inclinação dos raios e maior tempo da presença solar. O custo na instalação dos sistemas atrais investidores do setor de energia limpa. Não à toa, uma empresa instala três Usinas e outro grupo empresarial está em vias de processo de instalação para instalar outras 20 Usinas Fotovoltaicas. Está sendo instalada no distrito de Travessão de Campos uma dessas Usinas de geração de energia fotovoltaica, que vai gerar 1MW (um milhão de Watts). A previsão é de ser inaugurada no próximo mês.

O Secretário Municipal de Petróleo, Energia e Inovação, Marcelo Neves, destaca o potencial de energia limpa fotovoltáica instalado em Campos, que registra crescimento exponencial de quase 200% nos dois últimos anos, com a participação da política pública de fomento à inovação tecnológica na gestão do Prefeito Wladimir Garotinho, por meio das Secretarias de Petróleo, Energia e Inovação e de Desenvolvimento Econômico.

“O potencial de energia limpa já instalado em Campos apresenta crescimento estrondoso entre 2020 e 2022 e isso coloca Campos no rumo certo e vem ao encontro de uma demanda requisitada há tempo pelo setor da indústria, que é a questão da infraestrutura energética do município”, observa Marcelo Neves.

Ele acrescenta que, atualmente, com a capacidade já instalada no município, mais a capacidade em vias de instalação, Campos terá energia fotovoltaica para atender 60% de toda demanda de energia do município, sem considerar as outras matrizes energéticas, como a eólica (a térmica (Usina de Furnas em Guarus), a PCH (Pequena Central Hidrelétrica de Santo Eduardo) e ainda as térmicas do Açu e o Parque Eólico de Gargaú e Buena, que forma um grande parque de energia limpa na região de Campos.

“O índice solar imétrico e a inclinação dos raios em Campos são muitos bons e outros fatores colocam Campos na prioridade dos investidores na geração de energia limpa, porque são fatores que implicam na redução de 40% na implantação de sistemas de geração. Até 2025, Campos vai gerar mais de 100% de sua demanda com energia limpa e passará a cidade do Rio, que hoje á a primeira do ranking. A indústria precisa de infraestrutura, energia e logística para escoamento da produção e isso coloca Campos num patamar diferenciado para o desenvolvimento”, aponta Marcelo Neves.

OUTRAS DUAS USINAS LICENCIADAS

Na segunda-feira (10) da semana passada, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Planejamento Urbano, Mobilidade e Meio Ambiente, concedeu a LAIS (Licença Ambiental para Instalação e Operação) de outras duas Usinas. As obras de instalações devem ser iniciadas nos próximos dias, uma no subdistrito de Guarus e outra no distrito de Vila Nova, na região Norte do município, ambas com capacidade de geração de 2,5% MW. As três usinas vão gerar mais 6MW de energia limpa, geradas a partir dos raios solares.

CAMPOS PRODUZIRÁ AINDA EM 2023 MAIS DE 60% DA SUA DEMANDA DE ENERGIA QUE É DE 100 MW

O Secretário de Petróleo, Energia e Inovação, Marcelo Neves, destaca que a produção de energia solar fotovoltaica no município tem registrado aumento significativo, a mensurar pelo último bimestre, com crescimento exponencial na ordem de 60%. Ele analisa que, ainda em 2023, Campos terá planta instalada que produzirá energia limpa próximo de 100% da demanda do consumo do município que atualmente é de 100 MW no pico e de 172 MW na nominal.

“Se somarmos a capacidade instalada da atuais 7.748 unidades geradoras no município às três novas usinas, Campos estará gerando 63,8 MW de energia limpa e renovável”, informa o Secretário da pasta, que acrescenta a importância da instalação de mais 20 Usinas Fotovoltaicas em Campos.

“Estamos em vias de processo de instalação de mais 20 Usinas, com capacidade de instalação de 2,5 Megawatts cada, que representa mais 60 MW de geração e isso colocará Campos com um Parque de Energia Solar Fotovoltaica com geração de mais de 100 MW, ou seja, teremos energia limpa e mais barata com excedente. A energia barata é um grande vetor de atração de indústrias que busca instalar suas plantas nas regiões também com boa logística e polo de qualificação de mão-de-obra, que felizmente Campos tem por contar com várias instituições de ensino técnico profissionalizante, com a proximidade do Porto do Açú e ser cortada por importantes rodovias federais (BR-101 e BR-356) que ligam aos grandes centros de consumo que são Rio, Vitória, São Paulo e Belo Horizonte”, avalia Marcelo Neves.

Águas do Paraíba dívida zero com até 65 de desconto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *