Fundação de Startup por empreendedores visa implementar iniciativas agroflorestais

Compartilhe...

Os engenheiros florestais Paula Costa, de 35 anos, e Valter Ziantoni, de 41 anos, estabeleceram contato durante suas atividades na Fazenda da Toca, uma iniciativa da família de Abílio Diniz reconhecida por aplicar extensivamente sistemas agroflorestais. Costa compartilha: “Percebemos uma demanda significativa de parceiros, ONGs e proprietários de terra em busca de orientação técnica para a implementação desses sistemas. Muitas pessoas contatavam a Fazenda da Toca em busca de informações sobre o assunto.”

Conscientes dessa necessidade crescente, ambos concluíram que uma única iniciativa não seria suficiente. Em 2018, vislumbrando essa oportunidade, fundaram a Pretaterra, uma empresa especializada em consultoria para projetos agroflorestais, notáveis por sua abordagem ecologicamente sustentável. Desde sua criação em Timburi, no interior de São Paulo, a startup expandiu suas operações, realizando mais de 160 projetos em 14 países.

Inicialmente, os empreendedores conceberam a ideia de lançar um curso voltado para o desenvolvimento de sistemas agroflorestais em grande escala em outubro de 2017. Contudo, logo perceberam a necessidade de ampliar seus horizontes, oferecendo uma consultoria mais personalizada, e seus primeiros clientes foram exatamente os alunos matriculados no curso.

Além de fornecer o planejamento, a startup também se envolve na execução, capacitando toda a equipe da propriedade onde o sistema está sendo implantado, assegurando a continuidade do projeto. “Cada projeto de agrofloresta que elaboramos é singular. Os custos de implantação podem variar de R$ 7 mil a até R$ 100 mil”, explica Ziantoni.

Aguas do Paraiba - Pague com PIX 800x250

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *